FitEscola | IMPACTO DA HIDRATAÇÃO NO DESEMPENHO COGNITIVO
18318
post-template-default,single,single-post,postid-18318,single-format-standard,do-etfw,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-6.1,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

11 Mai IMPACTO DA HIDRATAÇÃO NO DESEMPENHO COGNITIVO

Um bom estado de hidratação está relacionado com a melhoria da função cognitiva, em crianças e adolescentes, e com o aumento dos níveis de energia percecionados pelas mesmas. [ler mais]

Enquanto a desidratação e os seus efeitos deletérios, na saúde e no desempenho físico e intelectual, estão bem documentados na literatura, pouca investigação científica existe sobre os efeitos de um padrão adequado de hidratação nos mesmos parâmetros.

Um bom estado de hidratação parece beneficiar:
1- Memória de curto-prazo;
2- Os níveis de energia/vigor.

Evidências científicas sugerem que a disfunção cognitiva, resultante da desidratação, pode ser resultado de alterações no perfil hormonal, nomeadamente, nos níveis sanguíneos de cortisol, que parecem aumentar nesta condição. A hipercortisolemia (valor sanguíneo de cortisol elevado) tende a prejudicar a memória a curto-prazo. Por outro lado, um nível de hidratação normal (euhidratação) parece estar associado a níveis normais de cortisol no sangue, o que pode explicar os efeitos benéficos de um bom estado de hidratação na memória a curto-prazo.

Os níveis mais elevados de energia/vigor, reportados pelas crianças, podem ser explicados fisiologicamente, se considerarmos que a ingestão de líquidos está relacionada com o aporte de glucose ao sistema nervoso central. Um aporte adequado de glicose pode melhorar o desempenho de tarefas cognitivas em crianças, e ser percecionado, pelos mesmos, como aumento da energia/vigor.

É importante desenvolver e implementar políticas escolares de hidratação que contribuam para a melhoria do padrão de ingestão de água e, desta forma, para um bom estado de hidratação das crianças e adolescentes, diminuindo o risco de desidratação.

A disponibilidade de água é um dos fatores que mais influencia a ingestão de líquidos, pelo que é fundamental:
1- A existência de bebedouros no recinto escolar;
2- Garrafas de água na secretária da escola;
3- Os professores relembrarem, frequentemente, os alunos que devem ingerir água durante o período de aulas e no restante dia.