FitEscola | As crianças são pouco ativas – A Educação Física faz parte da solução
17787
post-template-default,single,single-post,postid-17787,single-format-standard,do-etfw,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-6.1,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

30 Abr As crianças são pouco ativas – A Educação Física faz parte da solução

Os resultados do relatório mais recente do projeto “Health Behavior in School-Aged Children (HSBC)”, que abrange 43 países diferentes, revelou que a maioria das crianças são pouco ativas. [ler mais] [ler mais]

Os resultados revelam a necessidade de promover a atividade física junto das crianças e adolescentes. No entanto, as estratégias implementadas até à data têm-se focado em intervenções isoladas, que raramente são sustentáveis, e cujos níveis de eficácia ainda estão abaixo dos resultados esperados. Como alternativa, surge a necessidade de modelos sócio ecológicos abrangentes e que integrem a escola, a comunidade e as famílias, no processo de mudança de comportamentos. O papel das escolas e, mais concretamente, da Educação Física neste modelo é determinante, embora seja reconhecido que a disciplina tem outros objetivos que não só a prática de atividade física. Um exemplo de modelo, proposto por parceiros europeus, recomenda 5 estratégias-chave para a promoção da atividade física.

1 – Promover a prática desportiva e atividade física durante os intervalos escolares para almoço;
2 – Construir espaços de recreio “ativos” que estimulem a prática de atividade física;
3 – Promover formas de transporte “mais ativas” nas deslocações escola-casa e vice-versa
4 – Desenvolver políticas de educação para a saúde;
5 – Organizar programas extracurriculares de desporto e atividade física.

Para mais informação, consulte:
Organização Mundial de Saúde